quinta-feira, 22 de abril de 2010

Projeto Jean Piaget

Educar, para Piaget, é “provocar a atividade” – isto é, estimular a procura do conhecimento.
“O professor não deve pensar no que a criança é, mas no que ela pode se tornar”, diz Lino de Macedo.
Piaget demonstrou que criança não pensa como o adulto e constrói seu próprio aprendi-
zado. Foi biólogo e dedicou a vida a submeter à observação científica rigorosa o proces so de aquisição de conhecimento pelo ser humano, particularmente a criança.
O desenvolvimento da criança segue maturação psicológica e de estagio lógico ao pré-logico, por meio de regras, valores e símbolos mediante mecanismos de assimilação e acomodação do objeto de estudo, identificados em faixa etária que compreende de 0 a 2 anos o estagio sonsorio-motor,(desenvolvimento cognitivo) na percepção e capacidade de reflexão na ação prazerosa do bebê com seus objetos. O estágio pré-operacional vai dos 2 aos 7 anos e se caracteriza pelo surgimento da capacidade de dominar linguagem e a representação do mundo por meio de símbolos. A criança continua egocêntrica e ainda não é capaz, moralmente, de se colocar no lugar de outra pessoa. O estágio das operações concretas, dos 7 aos 11 ou 12 anos, tem como marca a aquisição da noção de reversibilidade das ações. Surge a lógica nos processos mentais e a habilidade de discriminar os objetos por similaridades e diferenças. A criança já pode dominar conceitos de tempo e número. Aos 12 anos começa o estágio das operações formais. Essa fase marca a entrada na idade adulta, em termos cognitivos. O adolescente passa a ter o domínio do pensamento lógico e deduti vo, o que o habilita à experimentação mental. Isso implica, entre outras coisas, relacio nar conceitos abstratos e raciocinar sobre hipóteses.
A obra de Piaget leva à conclusão de que o trabalho de educar crianças não se refere
tanto à transmissão de conteúdos quanto a favorecer a atividade mental do aluno. Conhecer sua obra, portanto, pode ajudar o professor a tornar seu trabalho mais eficiente. Algumas escolas planejam as suas atividades de acordo com os estágios do desenvolvimento cognitivo. Nas classes de Educação Infantil com crianças entre 2 e 3 anos, por exemplo, não é difícil perceber que elas estão em plena descoberta da representação. Começam a brincar de ser outra pessoa, com imitação das atividades vistas em casa e dos personagens das histórias. A escola fará bem em dar vazão a isso promovendo uma ampliação do repertório de referências. Mas é importante lembrar que os modelos teóricos são sempre parciais e que, no caso de Piaget em particular, não existem receitas para a sala de aula.
Jean Piaget nasceu em Neuchâtel, Suíça, em 1896. Aos 10 anos publicou seu primeiro artigo científico, sobre um pardal albino. Desde cedo interessado em filosofia, religião e ciência, formou-se em biologia na universidadede Neuchâtel e, aos 23 anos, mudou-se para Zurique, onde começou a trabalhar com o estudo do raciocínio da criança sob a ótica da psicologia experimental. Em 1924, publicou o primeiro de mais de 50 livros, ‘A Linguagem e o Pensamento na Criança’. Antes do fim da década de 1930, já havia
ocupado cargos importantes nas principais universidades suíças, além da diretoria do Instituto Jean-Jacques Rousseau, ao lado de seu mestre,

Um comentário: